12.9.05

setembro

nunca fui feliz em setembro. há qualquer coisa no fim do verão que me faz mal. o sol que se atenua, a humidade roendo os ossos, o envelhecimento. no fim deste mês faço anos. sempre fiz anos como quem realmente envelhece. as festas, poucas, serviram apenas para sonhar com ser outra pessoa. no ano passado devo ter sido feliz, não à medida da festa que dei, mas à medida de uma excepção. setembro de 2004 não me trouxe uma má surpresa como o de 2003. sim, por justiça penso agora que em setembro de 2004 eu fui feliz e que naquela festa de anos talvez tivesse tudo, sem saber.
para não divagar, prendo-me a isto: «lookaftering» da vashti bunyan, «cripple crow» do devendra banhart, «noah's ark» (com o antony na melhor música) das cocorosie, «floor show» dos baxter dury, «kosi comes around» do dj koze, «takk» dos sigur ros e «lucky dog recordings» do stuart - tindersticks - staples.
poucos posts, muito trabalho, obrigado pelas palavras amigas. desculpem a pouca atenção. setembro não ajuda

21 comentários:

  1. deixa lá.todos nós nos sentimos assim. O problema é q n admitimos!

    um abraço!

    ResponderEliminar
  2. I got introduced to a really wonderful Garage sales website website that pretty much covers Garage sales website related stuff.

    You could by to check it out, when you get the time. They have good stuff!!
    .
    .
    .
    .
    Free report provided by Garage sales website EXPERT.

    ResponderEliminar
  3. tem piada... eu sinto que agora é que vai ser. é em setembro que tudo começa.

    ResponderEliminar
  4. Setembro antecipa o colorido do Outubro. Até seria lindo se não (re)começasse também o que, muitas vezes, desejamos esquecer.
    Boa "rentrée", e bom trabalho!

    ResponderEliminar
  5. eu, que pouco escrevo, rabisquei num lindo setembro, pouco antes deste novo milénio, uma carta de amor a uma bela rapariga, onde lhe mostrava as vantagens do outono. aquilo da exaltação das árvores que se despem, dos tapetes de folhas e dos tons acastanhados e alaranjados que aparecem, precisamente a partir de setembro...
    penso que o elogio do outono foi uma vaidade. a vaidade de um jovem despreocupado (e apaixonado) que caminha sobre a velhice que estala a cada passo, sem pensar que, afinal, também é uma das muitas folhas que secam e caiem ao chão.
    contudo (e esquecendo a linda rapariga, esquecendo a linda rapariga, que não interessa), continuo a gostar de castanhas assadas. Já lhes sinto o cheiro e o fumo, vindo da avenida central, até à velha-a-branca.
    come castanhas, amigo valter, come castanhas que felicidade são as quentinhas...

    ResponderEliminar
  6. Lembrou-me isto um poema...

    "As primeiras folhas de Setembro...

    Folhas?

    Que disparate!

    Como se Setembro fosse um livro,

    ou uma árvore, e eu

    fosse um pássaro

    capaz de amar-te!"

    Alexandra Malheiro
    in "Poemas SMS"

    ResponderEliminar
  7. Em Setembro cara de poucos amigos e manhã com figos.

    ResponderEliminar
  8. Agosto tem a culpa, Setembro leva a fruta.

    ResponderEliminar
  9. Em Setembro ardem os montes e secam as fontes.

    ResponderEliminar
  10. Em Setembro semeia o teu pão mas escuta o que o teu vizinho diz, porque no dia oito o centeio deve estar da altura da pena da perdiz.

    ResponderEliminar
  11. Não peças a morte a Deus, nem a chuva por São Mateus.

    ResponderEliminar
  12. Setembro molhado, figo estragado

    ResponderEliminar
  13. Setembro, ou seca as fontes ou leva açudes e pontes

    ResponderEliminar
  14. Deixa lá que vem aí o Inverno!
    E com essas escolhas musicais ficas muito bem acompanhado.

    ResponderEliminar
  15. Setembro é o teu mês, homem da tarde
    anunciado em folhas como uma ameaça
    Ninguém morreu ainda e tudo treme já
    (...)
    Rui Belo

    ResponderEliminar
  16. meu caro valter,
    Por onde o verão acaba e o outono começa
    uma incerteza prima por uma brexa de novidade.
    sente-lhe a luz, mesmo que pálida .

    um abraço
    antónio gonçalves

    ResponderEliminar
  17. meu caro valter,
    Por onde o verão acaba e o outono começa
    uma incerteza prima por uma brexa de novidade.
    sente-lhe a luz, mesmo que pálida .

    um abraço
    antónio gonçalves

    ResponderEliminar
  18. É o Outono a puxar por nós... creio que em Setembro todos temos essa nostalgia...

    Passei para ler-te. Deixo um abraço ;)

    ResponderEliminar
  19. Em Setembro a poesia confunde-se cos cores das folhas que tombam.

    http://maniasymanias.blogspot.com/

    ResponderEliminar