31.12.06

dicionário pessoal e perigoso de 2006 a pensar no que poderá ser 2007

sim, afinal este é que é o meu post mais maluco do fim de ano (ainda incompleto)

adolfo luxúria canibal - admiração e respeito

alexandre nave - só tu me emudeces. é verdade. só tu. não preciso de dizer nada. e tu sabes porquê. pareces o interior de mim, é ridículo falar contigo. parece que estou a falar comigo. adoro-te, pá

amor - essa coisa feita de merda, envolvida em merda e que insiste em apenas ficar a ver o mar

ana pereirinha - querida ana, confesso que me encanta desde sempre a tua doçura comigo. muito obrigado. és muito especial no meu coração. obrigado mesmo

antony

(fotografia de rui pires)

ao vivo no teatro circo. exquisite. perfeito

beatriz, mais conhecida por tiz tiz - amor, o tio vai amar-te a vida inteira e mesmo depois disso

beirut - «gulag orkestar», disco disco disco

blog - www.daliteratura.blogspot.com

bolinho - não entendi. espero de coração que fiques bem

britney spears - quem é que ainda não viu a dita cuja da rapariga? está à vista no site www.totallynsfw.com, cuidado, é um site viciante de culto e espalhador de amor pelo mundo. avisei, não sejam incautos

bruna - és um estouro de sobrinha. xaram. mais que de mais. quase tão sexy e magnífica quanto o cromo do tio. podes crer

bruno pereira - estamos de sangue para a vida inteira. assim de pacto. não te atrevas a pensar de outra maneira. adoro-te, gajo maluco

cat power - ao vivo no antigo batalha

césar figeiredo

obrigado

corpo visível - amei. grande beijo à bruta para ti. assim generalizador e muito lambido

cristininha porto da silva - partilhemos sempre a discreta mas profunda cumplicidade. assim como dois sábios que se entendem quase sem dizerem nada. mas muito sentidamente, porque gosto de mais de ti

dia a dia - a galinha fode o papo

dor de cabeça - todos os dias, até morrer

eduarda chiote - «o meu lugar à mesa», quasi edições, 2006. a não perder

eduardo pires - quando te apanhar vais levar tantas no focinho que te deixo todo partido, meu palerma. foste muito mau comigo. não devias. és importante de mais para mim

eduardo pitta - obrigado. estás longe, mas muito lucidamente perto. obrigado pelo carinho

esgar acelerado - vinham o snoopy e o pai natal numa rua escura e a dada altura diz o cão, ó pai natal, estás a pisar-me a cauda, e o velho responde, hummm, é para te pôr o rabinho a jeito. não sei porquê, mas é por aqui que vejo a bd. és um gajo do caraças. não mudaste em nada a minha convicção de que os comics são uma coisa para gente séria. alta sintonia. em 2007 será ainda melhor

finanças - morri

gajas - eu quero é gajas

hugo - ó afilhado, és outro estouro. sais ao padrinho. eu é que não me deu para ir bombar ao plastic, senão as chavalas vinham todas para a minha beira

inês - és a mulher da minha vida. sem ti chamava-me maria amélia, ou coisa parecida. és a maior deusa à face da terra

isabel lhano - se a amizade pudesse ser medida, a minha por ti era só comparável ao infinito imaginário de deus. garrida, vermelhona de intensa e calor humano. salvas-me a vida dia a dia. és importante de mais para mim

isaque ferreira - se não existisses, haveria de te encontrar entre palavras. haverias de ser um livro, um poema, uma porra de um romance qualquer. onde eu seria um leitor esperto, mais esperto do que todos, e te traria à luz do dia com a perfeição das personagens mais inverosímeis, como tu próprio já és
joana rego - és muito querida, joana, queria ter uma nuvem onde pudesses descansar a tua tão grande beleza
joão gesta - quando for grande quero ter o coração em forma de tu

joão rios - ei, mano, i would cry a river for you, e tasse bem. se não fosses curtido a malta do gang havia de apanhar só as minhas secas. juntos, fodemos o mundo
jorge melícias - nem sei que te diga, meu. és assim comigo como se fossemos da bíblia. tipo, o cristo vinha e nós éramos irmãos e virávamos apóstolos e íamos por aí fora pregar com grande convicção

josé filipe ferreira - gajo, somos amigos. não atrofies, por favor. somos amigos

josé luís peixoto - «cemitério de pianos», bertrand, 2006.

luís melo - mestre, desculpa, adoro-te, mas sou triste de mais para te estar sempre a chatear
mafalda, maf - sinto contigo uma sintonia bonita. entendo-te só de olhar. achas normal? parece que te conheço há dois mil anos, quando ainda era jovem e curtia algo bem mais colorido do que as areias do deserto. este ano de 2007 exijo estar mais contigo. marca aí, não quero saber
margarida palavras de sabão - ó anja, escolhe o padrinho depressa. obrigado por tudo. obrigado muito pela aventura
margarida rebelo pinto - acho que escreve muito mal. os seus livros são maus. os títulos maus. as capas más. e nem acho que seja uma pessoa bonita. prefiro a fátima lopes. ajuda os pobrezinhos e escreve melhor. em 2006 achei que foi uma escritora chatinha, enfim, é a minha opinião

maria do rosário pedreira - deus destinou-te um pedaço do meu anjo. obrigado

maus hábitos - o meu bar. nenhum outro assim

morte - sim, estou farto. para mim isto já deu o que tinha a dar
nelson d'aires - queres ficar a ser meu irmão? livras-te de umas quantas chatices e tasse bem
nu - vou aparecer nu na capa do meu novo livro. já em janeiro. a fotografia é do nelson d'aires. linda. explícita. obviamenente não agressiva. quem se masturbar a olhar para aquilo precisa de estar com uma vida sexual muito crítica. já aviso. pode servir de medidor de carência

nuno duarte gonçalves - obrigado por em setembro me teres salvo a vida. sim, ali pelo dia 19, certinho. conta sempre comigo, sempre

nuno gomes - bom ter cúmplices como tu. és fixe, meu, és fixe

ópera - eduardo luís patriarca, parabéns. e desculpa a minha amizade parva

paula raquel - mana, altamente as nossas botas. com elas elas descobriremos o melhor caminho para 2007. de pedra e cal, os dois

pátio - antro de víboras onde tudo se consome e ninguém se come. há qualquer coisa de errado nisto

patrícia campos - tenho uma casa do caraças e o isaque foi lá deitá-la a baixo. quando for comigo, vai ser só jazz vocal (billie holiday) para espantar espíritos e aproximar corações
peixinha - tão linda. que linda menina

plano b - o bar onde te amei

pornografia erudita um - é o título do meu novo livro de poesia. sairá a vinte e cinco de janeiro, chancela da cosmorama

pornografia erudita dois - é o título do espectáculo no teatro do campo alegre, inserido no ciclo quintas de leitura, a acontecer no dia vinte e cinco de janeiro. com tânia carvalho, vhm, susana meneses, adolfo luxúria canibal, sandra salomé, judite tobias e paulo praça. os bilhetes para estes espectáculos esgotam com uma rapidez alucinante. deverão estar disponíveis já no início do mês. para quem quiser muito

quelinha - uau. quando fores uma top model dás-me um autógrafo? és linda

quid novi - editora. onde em maio saiu «o remorso de baltazar serapião», o meu segundo romance sobre o qual recolho as mais bonitas opiniões

quintas de leitura - os poetas a pastarem no lanço verdde da ladeira. tão bom. obrigado, campo alegre, vocês coloriram-me

rafael - nunca mais, nunca mais, nunca mais. é que nunca mais

raquel miss z - começaremos o ano a bombar na tua festa e não mais vamos parar. vais ficar boa, porque tu já és boa, pá
rui lage - «revólver», quasi edições, 2006. rui, obrigado, só por ti as coisas já valem a pena

sandra claro - quando voltares a portugal vou pedir-te um beijo na boca. só porque te adoro e tenho saudades tuas

sakura - nunca mais vou conseguir lá entrar, mas é onde se come o melhor sushi no norte. ali em matosinhos, onde eu ia
sapinho - és o cachopinho mais querido do mundo

slimmy - som som som

terceiro esquerdo - bate-lhe o sol dia todo. muito claro, branco, vejo ao fundo o mar. gosto de estar aqui. e não tenho vizinhos por cima. tira-me um peso

teresa pereira - amiga, daqui só paramos no fim da vida. és linda, como já sabes

transporte de animais vivos - nova editora de discos. bombásico o projecto do adolfo luxúria canibal com o antónio rafael, muito bom o disco dos partisan seed

universidade - gosto dos amigos do tempo da universidade, da teresa, da ana raquel, da carla, do fernando, do leando, da lucília, do feliciano, da magui, da sandra, da ilídia, da manuela, da elvira, do manuel, da célia, da rosário, etc. enfim, havíamos de fazer todos uma orgia. eu ficava por cima. é que era bom. continuamos todos uns pitos
vila do conde - espraiada entre cenas e cenas e mar. raios partam. lembra-me vila do conde e ponho-me logo a pensar, mas onde estão os vilacondenses que conheci. porque terão eles que ir fazer carreira para tão distante daqui

vitorino ventura - desculpa. és uma pessoa muito bonita. desculpa-me. tenho vergonha de existir no mesmo mundo que tu
wolfmother - «wolfmother», o rock, 2006

27.12.06


acredito cada vez menos em boas festas. ou as boas festas são iminientemente dotadas de alguma maldade, e não é disso que se fala na fogueirinha do natal.

talvez por isso, e porque sou um rapaz na linha do horizonte, desejei lentamente felicidades aos meus amigos, e a alguns não disse nada, como tanta vontade tenho tido de permanecer: sem dizer nada.

redimo-me agora: boas festas, sem maldadezinha alguma, cheias de esperança para um novo ano como deve ser.

um ano europeu de grande nível, sem sócrates, sem direita, sem taxistas mentirosos, sem concertos do andré sardet, sem livros da margarida rebelo pinto, sem televisão bela, morangos ou estrelinha, sem a minha vizinha do lado, sem amores indecisos, sem amigos com telemóveis secretos, bom nome, com a pila à mostra, com batalhões de orgasmos, com música rock, com mil discos novos dos wolfmother, com mil livros novos do rui lage, com beijos na boca da malta desconhecida que passa na rua, com noites infindáveis no plano b, com a inês, com a inês, com a inês, e com o bruno, e com o bruno, e com o bruno, com camisolas sujas, com viagens a nova iorque, com orgias de patos, com blogues de grande template, com o silêncio do papa, com o sétimo eduardo cheio de sobrinhos, a minha tiz tiz tão linda, com a isabel e o nelson no pátio a salvar o meu mundo, com o rios e a paula a namorar, com a teresinha cheia de sushi por todos os lados, com o melícias musculado, com a patrícia campos a dançar um slow comigo, com o novo disco do paulo praça a vender milhões, com a sua patrícia a curtir nos concertos, com a marta e o tony mais felizes, com o esgar a acelerar, e a raquel miss z a passar blues, com o isaque a lamber qualquer merda e a norma a extrapolar de bom gosto, com o gesta a receber extraterrestres, a cristininha a fazer uma tatuagem comigo, a mafalda a ficar mais incrível a cada dia, com o senhor nuno a penetrar em todas as festas, com o artur, com o luís melo a pintar para caraças, com o nuno gomes a desempancar, com a velha-a-branca a ficar mais nova, com o paulo brandão a ganhar raios solares esplendorosamente, com o ramiro a descer os preços em flecha, com a filó ainda mais simpática, quase até rebentar, com o daniel de cuecas escondidas, com o velvet aberto todas as noites só com meshugga no som, com o patoska a defender o cinema americano de baixo teor calórico, enfim, com os caranguejos na praia, alinhados, a levarem no cu forte e feio para aprenderem a não andar para trás. o caminho é em frente, nem que pela frente se afiem as pedras do chão como lâminas abrindo-nos os pés em quatro

esta imagem é do artista césar figueiredo, que teve a simpatia de ma enviar e sobre quem escreverei um post decente tarda nada. muito obrigado, césar, o teu trabalho é muito bonito


26.12.06

nemporisso@portugalmail.pt

ei, o meu email dá para conversas no msn sobre tartarugas, tempestades, carros com gente dentro, prendas de natal, filmes negros, canções pedidas, bonecos de trapo, novas estações do metro do porto, revistas coloridas e coraçõezinhos pendurados nas árvores. se for para desatinos mal educados estou dispensando

25.12.06

..

não é verdade. não funcionou. continuo com saudades tuas. ouço o mar pelas bandas das árvores. os carros sinistros passando e nós à espera da chuva como malucos a toda a força

23.12.06

ovni


vi no blogue do henrique fialho a referência ao novo livro de joão camilo, «o som atinge o cimo das montanhas». para além de isso ser por si uma boa notícia, agrada-me a ideia de surgir no entroncamento uma editora chamada ovni, que se abeira da poesia e de machado de assis. na internet ainda não aparece nada de muito concreto sobre o projecto e os seus projectores, mas fica a dica, para que os livros circulem o mais que possam e para que os potenciais leitores corram por eles desde já. o design gráfico - pela amostra - promete. este livro é muito bonito

19.12.06

faço minha a árvore de natal da editora antígona, uma editora do coração

esta é a minha sobrinha beatriz, filha do meu irmão alexandre e da minha cunhadinha carla. é linda. está com uma virose, mas continua a ser uma top model

18.12.06


querida, tão lindo ter sinais inequívocos de que a minha casa é a tua casa

17.12.06


duas pessoas de quem gosto muito, numa fotografia que roubei ao perfil do armindo dias (fotógrafo de quem gosto): a marta e o toni, lindos de viver

no pátio





15.12.06

no café pátio, em vila do conde, covil das mais belas criaturas, estão postos nas paredes sete desenhos da minha autoria. para assombrarem coisinhas boas que me venham cair às mãos. sim sim

duas pequenas coisas

primeira coisa:
os livros com as ilustrações do esgar acelerado e poemas meus (edição limitada a 100 exemplares) estão a esgotar. chegarão apenas para quem correr a sete pés. podem ver num texto abaixo tudo sobre o assunto, ou contactar imediatamente o esgar para adquirir um exemplar fazendo reserva urgente - esgar@sapo.pt
segunda coisa:
tenho por política colocar na minha listagem de ligações os blogues que espontaneamente colocam ligação para a casa de osso. no entanto, por vezes, as buscas que faço não encontram algumas almas simpáticas que vão acompanhando o que aqui escrevo. assim, deixando comentário aqui abaixo ou enviando um email, agradeço a quem não se vê retribuído por mim uma chamada de atenção

14.12.06

esqueci-te
mas amo-te

13.12.06

a partir das dezanove horas do dia de hoje vou deixar de sentir saudades tuas
hoje, treze de dezembro, o casa de osso faz dois anos de existência

12.12.06

exercício do bom amor

chama-se exercício do bom amor, é um pequeno livro de ilustrações do esgar acelerado acompanhado de poemas meus escritos para o efeito. a edição limita-se a 100 exemplares, numerados e assinados pelos dois, e tem já uma boa quantidade reservada. custa apenas 5 euros e os portes estão incluídos. não vou poder garantir exemplares para ninguém. assim, quem quiser possuir uma preciosidade destas, deve dirigir-se ao esgar (que assume a edição com o seu novo selo traficantes ilimitados) e solicitar reserva. corram, suspeito que em pouco tempo a coisa vai-se. este é o email do esgar: esgar@sapo.pt, e este é o blogue onde também encontram mais informação sobre o assunto: http://esgar-acelerado.blogspot.com

11.12.06


já todos sabem que está um frio de rachar. assim, e também porque detesto dormir sozinho, estão abertas as inscrições para noites de maior calor comigo. podem deixar candidaturas sérias e fundamentadas no endereço de correio electrónico indicado algures aí ao lado, que também serve para msn. hummmm, fico ansiosamente à espera de calendarizar a coisa (a fotografia tão bonita é do nelson d'aires e pode ser melhor entendida com acesso ao seu próprio blogue)

10.12.06

haverá alguma coisa para mim no sapatinho, pergunto

9.12.06






esta é anna-varney cantodea. ouve vozes que não se deveriam ouvir. tem um projecto musical muito fúnebre chamado sopor aeternus & the ensemble of shadows, parece a morte porque só pensa na morte. há qualquer coisa nos discos que tenho dela que não me agrada. mas há qualquer coisa, nos muitos discos que tenho dela, que me vicia

8.12.06

.


barahona possolo, esplendoroso: sala do veado, no museu nacional de história natural (antigo edifício da faculdade de ciência, rua da escola politécnica, 58, lisboa). só perde quem não pode mesmo fazer outra coisa senão perder

7.12.06

.

sim, confirmo, estarei nu numa fotografia do nelson d'aires na capa do meu livro de poemas a sair já no fim de janeiro. para voyeures, de propósito
chancela da cosmorama, a ser lançado aquando da sessão das «quintas de leitura» (teatro do campo alegre) em que sou o poeta convidado (participações: judite tobias, sandra salomé, susana meneses, adolfo luxúria canibal, isaque ferreira e paulo praça)
o paulo praça (membro dos famosos plaza) encontra-se a terminar a produção do seu primeiro disco a solo, absolutamente composto com letras minhas, escritas numa parceria muito gratificante. o paulo praça, acredito, será um caso raro de sucesso garantido na cena musical portuguesa. atentem nas suas impressionantes melodias, a circularem a partir do início do novo ano

.

apontamento para chamar a atenção para a lista de ligações. alguns acrescentos de peso poderão ser notados. reparem na vala comum, onde está o rui lage, procurem a caixa geral de despojos, onde estão muitos amigos, procurem o blogue do mercado das artes, onde se elencam obras e artistas que este defende
apontamento para chamar a atenção para as coisas boas da vida. que, embora já não existam, se colam à memória como saudade boa
apontamento para não deixar passar um abraço a quem tanto me procura e a quem tanto fujo. estou assim. preciso de fujir por aí fora à procura só da poesia e do filho da puta do amor
apontamento para mais uma imagem do esgar acelerado

6.12.06


cat power no batalha. linda. uma nico com uns velvet underground muito bem reinventados. particularmente bom o momento das versões, rolling stones, otis, gnarls, sim senhor. e mais uma fotografia ilegal. para lixar aí os puristas

5.12.06

.


ontem à noite, no teatro circo, john zorn e mike patton fizeram-nos uma demonstração de puro génio. estou afónico de ouvir tanto grito, estou pasmo

.


no momento em que tirei esta fotografia vivi um momento de intensa felicidade. sem explicação, a vida mudou. sem explicação. como se o amor pudesse ser arrancado do peito sem mais nada. hoje, a ver o céu carregado de nuvens, lembro-me da praia e do mar alterado que nos ameaçava. que nos ameaçava e obrigava a que nos protegessemos nos braços que enlaçávamos. te´rei sonhado com isso, pergunto

4.12.06

template

quero muito mudar o template deste blogue. aceito sugestões. algum esperto destas coisas me propõe um template livre de autorias - ou usável em todo o seu esplendor - para ficar subitamente mais feliz?... gostava de ter uma daquelas coisas com fotografia em cima e tudo, mas não sei como se faz. vejam o template do palavras de sabão, é lindo

o esgar acelerado - ilustrador exímio de quem tenho a sorte de ser amigo - criou uma pequena série de ilustrações absolutamente belas para as quais me pediu poemas. deveremos fazer uma edição ultra limitada, para ser adquirida pelos mais atentos por uma quantia simbólica. a imagem acima, dá para acreditar, pergunto

2.12.06

a possibilidade de comentar

talvez seja um bocado snob - não o queria ser - na manutenção do meu blogue. nunca respondi a provocações que ostensivamente me fossem feitas de má fé. por esse motivo, há muito tempo retirei a possibilidade de alguém comentar o que aqui escrevo, senão pelo método privado de me enviarem um email. abro agora de novo os comentários para deleite e entretenimento de quem quer usar o seu tempo comigo. fico na expectativa. sou, acima de tudo, um crente. considero que a energia positiva com que faço esta opção neste momento poderá atrair energias também positivas. se assim não for - e porque de facto farto-me de receber emails de cromos mal intencionados que se apoquentam comigo como nunca me apoquentaria com eles - terei sempre a hipótese de fazer triagem, impondo uma certa tirania naquilo que é lido por todos. assim, deixem-me beijinhos, até estou a precisar, e deixem sempre ligações para outras coisas. sugestões de pesquisas e conversas. e obrigado


a inês é uma das pessoas mais bonitas que conheço. é dona de tudo quanto deus escolheu de melhor, a sensibilidade, a inteligência, o amor. um dia destes, quando eu for grande, saberei explicar mais, porque é verdade que perante alguém tão belo nem a poesia se atreve a arranjar palavras que o possam mostrar (as duas fotos de cima têm assinatura paulgi, a de baixo é de telemóvel, autoria isabel lhano)

27.11.06

mário, morre como a estrada começa

23.11.06

rock'n'roll do melhor enquanto o sérgio faz anos

22.11.06

dia vinte e cinco, sábado, pela noite adentro, rock'n.roll da pesada no bar velvet com um casal frenético a dirigir a mesa de misturas. sim, vila do conde by night sempre a abrir. para ouvidos alternativos e revolucionários

14.11.06

a minha amada teresa fez-me o repto para denunciar - de livre e mais ou menos espontânea vontade - as minhas principais cinco manias. sendo assim, aqui vai o chorrilho de tristezas do meu imperfeito carácter:
ouro: tenho sempre a convicção de que se peço aos outros para fazerem algo por mim nunca ficará como eu gostaria que ficasse. tenho um pouco a mania de acreditar naquele ditado que diz: se queres, faz, se não queres, manda fazer.
prata: no fim dos concertos corro a ver o que se vende na mesa do mershandizing. se alguém me atrasa o passo leva por tabela. tenho a mania de ficar ansioso por comprar - quando me interessam - as melhores raridades e preciosidades dos meus músicos favoritos.
bronze: não suporto janelas e portas abertas quando estou dentro de casa. sinto todas as correntes de ar e acho que fico doente em cinco minutos e, por isso, ao fim de cinco minutos espirro e fico tonto. em dez minutos caio de cama.
lata: não suporto filas. sobretudo se estiver atrás. frequentemente deixo de ir a eventos que me exijam esperar muito tempo à porta. ofereço - ou vendo - os bilhetes ou convites que tenha e não me sinto mais arreliado. arreliam-me os espectáculos que não começam à hora marcada.
papelão: tenho a mania de que sou feio. talvez porque isso seja verdade.
como tenho de passar o desafio a cinco outros bloguers, pico o rabo ao kafka do antivilacondense, ao mário e ao alexandre do segundo andamento, ao joão do crime de laio e à minha querida sufragista. e perdoem-me todos pelo frete que vos estou a encomendar e, já agora, para vos compensar de antemão pelo sacrifício, deixo-vos beijos húmidos e maozinhas no rabo à discrição
o douro é um tesouro. enchi os bolsos de terra e voltei a casa como carregado de jóias

6.11.06


o diogo gomes chamou a esta fotografia «três minutos antes de a maré encher», fico contente que ma tenha enviado. há nas ligações ao lado uma pequena página onde podem ver um pouco mais do que fotografa muito bem

3.11.06

LAPSO
A INAUGURAÇÃO DA MINHA EXPOSIÇÃO «O ROSTO DE GREGOR SAMSA», PRIMEIRO APONTADA PARA INAUGURAR NO DIA 11, INAUGURA JÁ AMANHÃ, DIA 4, NA GALERIA SÍMBOLO, NA RUA MIGUEL BOMBARDA, PORTO, A PARTIR DAS 16 HORAS. OUTRAS INFORMAÇÕES NO POST ABAIXO

30.10.06

coisas para fazer antes de eu morrer


fotografia do nelson d'aires, para a série «coisas para fazer antes de eu morrer», com o nuno, a isabel, eu e o antónio. estavamos felizes. ainda estamos, e juntos, ainda, a trabalhar duro na felicidade. que é coisa séria

26.10.06

o rosto de gregor samsa, naïve e nítido

sem dúvida uma surpresa para mim próprio a possibilidade de expor na galeria símbolo (n.º 451 da rua miguel bombarda, no porto) um conjunto de desenhos pensados em torno da figura de gregor samsa, a magnífica personagem do livro metamorfose, de kafka.

abre a 4 de novembro próximo, às 16 horas (até às 20), e fica até 14 de dezembro. estão todos convidados para aparecerem

25.10.06



dia 4 de novembro próximo, às 17 horas, a pintora carla gonçalves inaugura uma nova exposição. sempre marcada por uma enorme versatilidade, desta vez a artista promete terminar os trabalhos na própria galeria envolvendo nisso os retratos de quem por lá estiver. o trabalho de carla gonçalves pode ser melhor conhecido através da sua página pessoal e, a meu ver, é do mais genuinamente revigorante do que se vai fazendo na pintura portugesa actual

24.10.06



a cidade líquida e outras texturas é o título do novo livro da escritora filipa leal. apresentado pelo joão gesta, cria um evento imperdível de qualidade literária e tertuliana. é no clube literário do porto (lindo, em frente ao douro, ali depois da alfândega, em direcção à ribeira), onde ocorre também a inauguração da exposição de fotografia, lost vitrines, da excelente mafalda capela.
a acontecer a partir das 18 horas deste sábado



20.10.06


o rapaz romântico à procura de um coração solitário ouviu finalmente a palavra mágica e apressou-se a retribuir na mesma moeda. agora sim, tudo vale a pena. só para voltar a dizer que eu também te amo

16.10.06



querida teresa, amar-te-ei por toda a vida. juntos encontraremos a felicidade. juntos, somos a felicidade
(as fotografias são do nelson d'aires, claro, tiradas nos maus hábitos, a partir do mais fundo que há em nós. obrigado)

11.10.06

s e l f i s h c u n t