15.12.07

arquivo de nuvens, o livro de estreia da marta bernardes, uma artista para o século xxi inteiro e a passar


isso, a marta bernardes, das artes plásticas e da música, publica agora, com a chancela dos cadernos do campo alegre, um livro com o título fugitivo «arquivo de nuvens». joão gesta, o grande programador das quintas de leitura, pode ser visto num video promocional a explicar coisas fundamentais sobre a vida de todos nós, mas importa-me sobretudo destacar a esperteza que tem tido na aposta em alguns novos nomes que, para mim, rompem de facto com as expectativas mais aborrecidinhas do costume. a saber, a aposta na filipa leal ou no daniel jonas, nada óbvias à partida e tão naturais quanto a nossa sede para depois. a marta entra aqui, exactamente, com propriedade e alguma pompa, com um livro descomplicado e muito sarcástico, de filosofias profundas sem pose, antes com espontaneidade e graça.

«Se eu fosse uma faca seria
deslumbrante e triste.
Nos dias que correm uma faca
é sempre uma morte antiga,
nostálgica, obsoleta, mesmo
as de aço inexorável.»

pag. 78



na quinta passada, fez-se o lançamento e foi excelente a conversa da marta e a música com os amigos do grupo joão peludo. brilhante, para mim o mais sobriamente bonito momento da noite, esteve a voz da filipa leal, que entre ser poeta e jornalista, diz belissimamente. para cerejinha, a ana deus a cantar dois poemas da amiga, soube a pouco, dela queremos sempre mais. muito ofereceu o mágico jomaguy, a dizer poemas sinistros enquanto fazia truques de cartas e cordas. foi lindo. sim, grande quinta feira de leituras. como sempre

2 comentários:

  1. Maria Velho15/12/07 21:38

    ...sem modéstia nenhuma, entendo-te Tão BEM!

    ResponderEliminar
  2. a julgar pela capa e pela amostra é poesia de primeira, mesmo.
    abraços e feliz ano novo.

    ResponderEliminar