6.1.09

vinha pedir-lhe amor, como se fosse um pouco de arroz ou assim. é porque também precisaria de pouco. a mim qualquer coisa me basta e vindo de si, juro-lhe, o vir de si já seria mais do que suficiente. não me considere disparatado. pode ser um disparate o que faço, mas é de um juízo grande tudo o que fazemos para ir de encontro ao coração quando o coração está certo

5 comentários:

  1. confesso que tenho o secreto (era) desejo duma vizinha boazona me vir pedir salsa ou um ovo e a coisa descambar para a cueca...
    .
    .
    .
    quanto ao texto, está belíssimo

    ResponderEliminar
  2. Yet another livro teu no Livros [s]em Critério, a cobrição das filhas.

    http://livrosemcriterio.eraumavezumrapaz.net/?p=400

    São todos bem vindos.

    Cheers

    ResponderEliminar
  3. eu levo disso amanhã.

    ________

    _____________

    _________

    ___________________

    é trés chic descobrir estas cenas on-line:

    http://www.valimardigital.pt/portal/page/portal/comunidades/jornal/noticia?id=591

    ResponderEliminar
  4. Anónimo8/1/09 13:40

    Palavras Soberbas , qual Margarida Rebelo Natalícia com 23mil laços ...o Remorso é desconhecerem a magia e a revolução que é o Serapião. Um beijinho desta fã , a que rabisca em www.fotolog.com/madame_libertina .
    Aquela paz e uma continuidade ascendente

    ResponderEliminar
  5. grande texto. não que o não saibas, mas - já to disse? - adoro sublinhar livros.

    ResponderEliminar