22.3.07

prémio de poesia nuno júdice

o nuno júdice é um dos meus poetas de eleição, pessoa com quem tive a honra de privar e de quem me posso considerar amigo, naquele sentido lato e bonito que se utiliza para falar de quem não nos está próximo mas para quem temos uma disponibilidade sincera e feliz.
recentemente, a câmara municipal de aveiro, em conjunto com o grupo poético de aveiro, homenagearam o nuno júdice criando um prémio de poesia com o seu nome. entretanto, o vencedor foi ontem anunciado. vou dar-vos três hipóteses a ver se adivinham quem ganhou: um, o josé jorge letria; dois, o josé jorge letria; três, o josé jorge letria? por ser uma resposta difícil - o feito ainda está muito mal noticiado -, dou uma dica: o vencedor é um poeta que raramente participa a concursos e foi premiado muito poucas vezes neste tipo de prémios autárquicos. qualquer resposta, arrisquem para os comentários.
eu gostava que tivesse ganho a hipótese um, ou... não sei, talvez a dois. a três é que definitivamente não. já ganhou tanto prémio que ficamos a achar que há uma fórmula para impressionar este tipo de juri ou, pior, ficamos a achar que muito bom poeta não concorre porque já imagina quem vai ganhar. ah, não concorri. não concorro a uma coisa destas desde 1999, quando ganhei o prémio almeida garrett de poesia atribuído pela associação de jornalistas e homens de letras do porto. ganhei a edição do próprio livro numa colecção da associação de que muito me orgulho

4 comentários:

  1. pois este assunto também me é caro: concorri pela segunda vez na vida ( a outra por acaso ganhei)e o que agora me levou a enviar um envelope para aveiro não foi por de repente ter passado a acreditar em concursos, mas pela enorme estima que tenho ao nuno júdice.
    depois, houve algo que me intrigou. mas até pode ser ignorância minha, recebi um envelope da câmara minucipal de aveiro com um postalinho e fiquei pasmada. ora nunca pensei que eles fossem abrir os envelopes que levam a identificalão dos correntes. isto porque me parece que um júri normal só abre o envelope do vencedor. enfim...

    ResponderEliminar
  2. Eu, na altura, li o regulamento e lembro-me de o ter achado abusivo. Dizia mais ou menos que todos os trabalhos a concurso estariam à mercê do que a organização do prémio quisesse fazer deles e por tempo ilimitado.

    António.

    ResponderEliminar
  3. O mail que em 26 de Janeiro recebi e confirmado no site da Casa Pessoa, dizia o seguinte:

    "É só para informar que está aberto o concurso para a atribuição do Prémio
    Municipal de Poesia Nuno Júdice, atribuído pelo Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Aveiro. Este concurso destina-se preferencialmente à revelação
    de novos talentos e ou de valores ainda não devidamente reconhecidos."

    Na verdade achei o regulamento muito pouco claro, como se tivesse sido feito (e peço desculpa pelo termo) em cima do joelho, pelo que telefonei mais tarde para a entidade competente a solicitar esclarecimentos.
    Agora entendo o "sorriso" que até ao dia 21 permaneceu nos meus ouvidos... assim como é compreensível(??) a não divulgação do nome do vencedor, em tempo devido, no site da Câmara (só hoje foi anunciado).
    E alguém saberá explicar a notícia de um jornal da zona indicando que foram divulgados os nomes dos concorrentes antes de terminar o prazo?

    Assim vivemos, assim nos encontramos, num país de costumes brandos.... :)

    Perante as tuas 3 hipóteses, sem dúvida não escolheria a 3ª. :)

    Um abraço e muito sucesso para o lindo dia de amanhã

    ResponderEliminar
  4. O que eu poderia dizer acerca deste assunto, já o explicitei no meu blogue.
    Um abraço

    ResponderEliminar