19.12.04

joaquim castro caldas

gosto dos textos do joaquim castro caldas, um dos mais intensos animadores verbais das nossas noites. conheci-o há muitos anos no pinguim café, quando todas as quintas-feiras a malta com sede de vanguarda aparecia a ver o que se escrevia por ali. nas quasi edições motivei a publicação de dois livros dele, 'convém avisar os ingleses' e 'só cá vim ver o sol'. ontem, o joão rios trouxe-me 'colheita da época', editado com efeitos comemorativos pelo aniversário da papel e ca., onde o joaquim se coloca como anfitrião, escrevendo metade do livro, convidando para o resto das páginas alguns amigos, como o isaque ferreira, o joão rios, e eu próprio.
o livro está lindo. teve uma edição limitada de trezentos exemplares e esgotou no dia de lançamento. para quem não lhe acedeu, escolhi um pequeno poema:

azulejo

só depois de te beijar
uma criança te pede um beijo
para distinguir a inocência do desejo

joaquim castro caldas

3 comentários:

  1. também conheci o joaquim numa qualquer noite de excesso e mais vezes depois num sítio pelos dois frequentado. também gosto dos textos dele. e estou curioso sobre os teus.
    abraço.

    ResponderEliminar
  2. também conheci o Castro Caldas, há já uns anitos, no pinguim qd fui lá tocar... as últimas vezes q o encontrei foi cá em Vila do Conde, 1º no antigo café do zé pá, e mais tarde no patio do ramiro... é boa pessoa e gosto de o ouvir declamar...gosto mais de ouvir declamar que ler poesia... enfim...

    ResponderEliminar
  3. Em cima da hora, mas logo à noite homenageia-se o Joaquim Castro Caldas e festejam-se os 20 anos do início das sessões de poesia no Pingum Café.

    Um abraço

    ResponderEliminar