4.5.07

à uma da manhã encontrei-me no centro de um campo infinito. eu e mais ninguém. cheguei ali por força da procura desenfreada de alguém. ali, o lugar mais abandonado. compreendi que procurar desenfreadamente alguém conduz redondamente à solidão. estou de volta. são duas da manhã e não procuro mais quem quer que seja. acredito ser esse o método para finalmente ficar acompanhado

8 comentários:

  1. SABESO QUE TU PRECISAS???? DO ABRAÇO QU ETE FICARAM A DEVER. E DE MAIS ALGUNS DOS TEUS PROXIMOS

    ResponderEliminar
  2. quem me dera fazer essa descoberta sobre a solidão em tempo tão veloz... o que é que se faz quando se é incapaz de desistir da procura?

    ResponderEliminar
  3. Como podes estar no centro de uma extensão infinita? Por definição, o infinito não tem centro.

    Podes estar infinitamente perdido no meio de nenhures, isto é, de uma extensão incógnita onde o isolamento nos dá essa sensação de centralidade.
    Afinal, foi assim que nasceu a concepção eclesiástica do universo, neste caso não de um isolamento emocional, mas de um isolamento voluntário, provinciano.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Anónimo4/5/07 10:57

    Antes uma solidão saudável que um amor doente.

    Um abraço

    Jackx(Sonetto)

    ResponderEliminar
  5. .
    ou
    .
    nada esperes que em ti já não exista.
    .

    ResponderEliminar
  6. E quando não procurares, encontrarás...

    ResponderEliminar
  7. Prosopoema cheio de profundidade...
    A poesia na busca da perfeição!...

    ResponderEliminar