10.1.07

já vos posso dizer que ontem se passaram sete anos desde a morte do meu pai.
não me aconteceu nada de marcante. o sexo, a viagem, o trânsito, não almoçar, dor de cabeça, pouco dinheiro nos bolsos, coisas vazias por toda a parte. costumava achar que estes dias seriam como portas. lugares de passagem para descobertas únicas. porque merecemos que alguém de confiança do lado de lá nos dê esse tão ansiado privilégio. mas nada. pessoas e mais pessoas. ninguém verdadeiramente consequente. apenas cabeças confusas em busca de maior confusão ainda

10 comentários:

  1. valter. bom dia...
    andarás nos caminhos certos?
    na cidade certa
    no planeta certo
    neste universo?

    abraço grande pá

    ResponderEliminar
  2. não é totalmente verdade valter. digo eu...
    entre o o caos generalizado, continuam a haver pessoas consequentes e cabeças lúcidas. ou pelo menos momentos de consequência-e-lucidez. felizmente.
    não seja eu um bom exemplo, tento acreditar nisso ao ponto de conseguir... ;)

    ResponderEliminar
  3. Phoenix Ocean10/1/07 11:44

    Nem sempre vemos com clareza o caminho que percorremos, mesmo usando lupas de aumento, e estamos tão concentrados em aspectos do passado (recente ou menos recente) que acabamos por ver nos olhos dos outros o reflexo da nossa alma e dor e não o que se esconde dentro deles.

    ResponderEliminar
  4. .
    viver é fácil.
    .
    transporta-se o caos de um lado para o outro.
    .
    mais nada.
    .

    ResponderEliminar
  5. gosto quando as pessoas que só conheço dos livros mostram que também são humanos... por isso gosto daqui

    ResponderEliminar
  6. Deveria ser "já posso dizer-vos" e não "já vos posso dizer".

    ResponderEliminar
  7. ex-nicereader10/1/07 20:22

    Existe uma grande dor neste post. Phoenix Ocean leu-me o pensamento acerca da forma como penso tendes a olhar os outros. Tenho desvalorizado sistematicamente as palavras amargas e relevo o outro teu lado, desprotegido e vulnerável, que quero acreditar ser, pela leitura e deambular do meu olhar nas linhas que vais escrevendo, humano e sensível. Abre o coração e não te deixes levar pelo sórdido das tuas más experiências. Não é quem chega que tem que pagar a factura dos erros de outrém. Por aqui me fico... Abraço cordial.

    ResponderEliminar
  8. Phoenix Ocean10/1/07 20:25

    "Anônimo said...
    Deveria ser "já posso dizer-vos" e não "já vos posso dizer"."

    Saber escrever é também quebrar regras. Saber viver é enfrentar o caos gerando mais caos.

    ResponderEliminar
  9. neste caso está certíssimo: «já vos posso dizer». o valter escreve lindamente. mas escrever assim ou assado nem deveria ser chamado a propósito de um texto como este. comovente.

    ResponderEliminar
  10. Anonymous, sobre a afirmação:

    Deveria ser "já posso dizer-vos" e não "já vos posso dizer".

    Deveria por que razão?

    Na língua que conheço, não deveria coisa nenhuma; é flexível e ginasticada o suficiente, ambas as formas têm a mesma utilidade e dignidade. Pode parecer-lhe que a sua preferida, por soar mais clássica, seja a grande vencedora do festival das frases. Mas está errado. Se é preconceito por poder soar a português do Brasil, deixe-me esclarecê-lo: a língua portuguesa já é mais "deles" do que "nossa".

    ResponderEliminar