15.4.07


domingo }a noite, aqui nada de mais, dia da semana, so para nós nao. riade ]e uma cidade estranha, gigantesca, de edificios feitos para gente com 20 metros, poucos passeios, ninguem na rua, quase n\ao ha transportes publicos, senao taxis e autocarros escolares. as pessoas ganham rios dfe dinheiro e uma percentagem muito grande de mulheres, talvez 40 por cento, ainda cobre a cara fora de casa. os homens equivalem se. de branco, a cabe;a coberta de panejamentos, muitos serios. a internet aqui e uma raridade. pedir para consultar a internet nao foi um problema no hotel monumental do rei, construido pelo norman foster, mas em qualquer outro lado é mal vista. os discos da shakira estao censurados, à mao, sendo o corpo dela coberto por tinta preta ou vermelha, de fora fica so a cabeca. nao se vendem livros em quase lado algum. nao devemos olhar para as mulheres (nunca falar para uma mulher) nem rir alto nem curzar as pernas quando sentados nem andar de bra;os destapados nem desobstruir a graganta em publico.
fui jantar sushi maravilhoso, oriental de gema. ha filas para homens e filas para mulheres. as mulheres nao podem comer ao pe dos homens. ha uma area escondida de todos onde ficam com as criancas. as vestes dos homens mais ricos sao de seda muito fina e brilhante. com a luz tornam se muito transparentes e da para perceber lhes a roupa interior. nao obstante, riade e coisa de se viver. acho que vou ficar por ca

13 comentários:

  1. Cuidado parece que o regime está a lançar suspeitas sobre todos os estrangeiros que possam ser amigos de Bin Laden!

    ResponderEliminar
  2. aí anda ele...
    este texto nao teve que passar pela "vistu"ria?
    aquilo do lápis azul ainda funciona nessas bandas? ou será dourado?
    se ficares por ai comparás vestes de seda muito fina e brilhante?
    mais uma capa de um livro:) tá visto.

    abraçao e cuidado com a lingua :)

    ResponderEliminar
  3. Diz à tua amiga Ana (do post anterior) que se não é preconceito ter duas filas para homes e mulheres comerem..o q será o preconceito! e se tu não podes falar com uma mulher..eu só imagino o que lhes fazem se alguma falar contigo!! E tu jeitoso e tudo..podias arranjar aí uma boazona ;)
    Livra-te de trazeres a Burca para a Bia, traz mas é uns arreios para o Alex!!!
    CArla

    ResponderEliminar
  4. é, fica aí, que a malta amiga não empata amigo. e pronto, sempre é um incentivo para se ir visitar outras fronteiras :)

    ResponderEliminar
  5. Ali não é lápis azul, é lápis verde...

    Pois é, os gajos ainda estão umas décadas atrás do unissexo, que é a oportunidade que se dá ao feminino de fazer a mimese do masculino. É a versão democrática do preconceito.

    ResponderEliminar
  6. A Carla não deve ter lido bem o meu post. Eu comentava precisamente que a ideia que o Ocidente tem da Arábia Saudita é que é um país árabe bem mais "open mind" que os demais . Mas parece que é precisamente o contrário. É dos mais conservadores , sobretudo no que respeita aos direitos da Mulher. Também me disseram que não é permitida a entrada de mulheres estrangeiras para turismo no país , a não ser em casos excepcionais , como visitas de Estado , etc. Seja como for , o Valter está em vantagem , foi numa visita especial e não é mulher. Aproveita bem , apesar do choque cultural.

    ResponderEliminar
  7. francisco17/4/07 04:51

    Que é que andas para aí a fazer, meu?
    No Al Faisaliyah Center! Muito me contas...
    Se censuram a Shakira, imagino o que farão à tua Pornografia Erudita. Ainda te levam para um harém.
    Já agora que andas à deriva pelo mundo, se fores a um museu de Arte, por favor tira fotografias aos urinois para o meu THE URINAL PROJECT.

    Tanto petróleo e nem o raio dum teclado português. Que miséria! Ou será que já estás a escrever em Árabe?

    Abraço e continuação de boa viagem

    ResponderEliminar
  8. traz mas é as vestes que com a luz ficam transparentes e a gente faz a festa... ficar por aí para quê?... :) volta rápido e traz contigo histórias de mil e duas noites - um novo record para o guiness...

    ResponderEliminar
  9. e dei uma vista de olhos em tudo

    é claro que o flho da puta do cartaz lá de baixo...

    enfim

    acho que tem um problema sexual mal resolvido

    abraços

    cesar


    ps: os neo nazis continuam a manifestar-me publicamente o odio que tem

    ResponderEliminar
  10. Por favor, contraria a irritante tendência da geração pós-25 (a minha): não venhas impregnado de Deus, com o sol do oriente nos olhos, a transbordar de transcendência, mais um soldado do Inefável, pronto a reconduzir todas as artes à teologia. Já chega. De espiritualizações bacocas "oriental flavour" estão os nossos departamentos académicos de filosofia cheios. Já não há pachorra!

    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Bonito tema.

    DESAFIO:

    O meu novo livro já tem título. O enigma é saber se alguém acerta, após a leitura da síntese que apresento.
    Uma pequena ajuda... a foto... e o texto.
    O título está entre "eles"...
    O primeiro a acertar, terá como prémio o original devidamente autografado.

    João Cordeiro

    ResponderEliminar
  12. devo dizer que tive também estas sensações de estranhamento no Emirados Árabes e, ao contrário de ti, não seria capaz de viver lá... haver filas prioritárias para deficientes e mulheres, sorry, a mim não!

    além de que fui tratada, muitas vezes, de forma indescritível... a parte de me mandarem para os restaurantes para a secção "famílias" mesmo estando sozinha é só mais um exemplo...

    mas aprecio a tua coragem...

    e sobretudo não quero dar ar de eurocêntrica...

    ResponderEliminar
  13. Ó Valter, e não há vaga para mais um por aí?
    Abraço.

    ResponderEliminar