8.4.07

a páscoa é uma seca

socorro,
ninguém me quer,
ninguém gosta de mim

10 comentários:

  1. havia um tempo em que a páscoa era a promessa das glicínias e das camélias em flor. Sim, havia a seca de ter de ir à missa, mais ou menos redimida pela primavera ainda tacteante. As férias, antegosto das férias grandes e de tudo o que nelas (nunca) aconteceria. Os dias grandes, semeando no corpo a impressão quase violenta de que algo único, cabal, iria acontecer. Claro, o acontecimento era essa impressão.

    Hoje é um dia qualquer, e passo o tempo em busca de um blogue para ler.
    Abraço,
    Pedro

    ResponderEliminar
  2. podes crer, pedro. ainda para mais, estou gripado e isto deita-me ao fundo do poço. só vejo uma luzinha ténue ao fundo, e é de um candeeiro afastado, porque já é noite e está frio e não há cá glicínias nem maresia capazes de abrilhantar esta primavera

    ResponderEliminar
  3. pode ser um ramo de mal-me-queres?!...

    bem-me-queres. bem-te-quero.


    toma lá um beijo e cura a gripe!


    B.
    ________________________

    ResponderEliminar
  4. Anónimo9/4/07 01:20

    mas tu estás sempre engripado, rapaz?
    Abraços,

    petrous

    ResponderEliminar
  5. lolololol..
    num acredito nisso! :P
    mas q se pode fazer? todos nós temos essa mania once in a while.. :P

    au revoir

    ah.. melhoras pa gripe :)

    ResponderEliminar
  6. mentira! eu gosto de ti!

    ResponderEliminar
  7. Tu é que não deixas ninguem gostar de ti.

    ResponderEliminar
  8. Faz-me lembrar aquela músicazinha de há uns bons anos atrás,da Celly Campbello(?): "Você tem o destino da lua, a todos encanta e não é de ninguém."

    ResponderEliminar
  9. O "ninguém gosta de mim" parece que vem sempre na Páscoa. Fala quem tem conhecimento de causa. Mas para contrariar eu gosto, só por não gostares da Páscoa.

    ResponderEliminar
  10. Olha o drama! Eu que até que nem DESGOSTO de ti...

    ResponderEliminar