7.4.07

nem sempre te vejo, nem sempre me pertences ao absoluto conceito dos olhos. prefiro ficar pelo escuro, quando é assim. esperar ouvir-te, garantir que é seguro perscrutar o espaço, porque então estarás presente. hoje, um dia estranho, sei que está sol mas habituo o coração às trevas e penso só nos dias a seguir. quando vieres e pudermos demorar juntos sobre a cama de água a rir de tudo

3 comentários:

  1. ... assim são os poetas...

    abraço amigo!

    ResponderEliminar
  2. parabéns. gostei muito.

    ResponderEliminar
  3. É tão bom chegar aqui e ler-te!
    Bj

    PS- Acho que vou fazer um roubo! Autorizada?

    ResponderEliminar