9.2.07


migração


um dia também partirei com os pássaros

e saberei que amar-te

terá sido um instinto sazonal


este pequeno e belo poema é de uma moça de aveiro que se esconde sob o nome de inominável. é lindo de mais. por isso me sirvo dele para lhe agradecer o piropo. beijinho, moça de aveiro. obrigado. a imagem é de hoin (ver mensagem abaixo)

5 comentários:

  1. uou. muito fixe

    ResponderEliminar
  2. lindo.
    a inominável também passou pelo divã.
    parece-me boa mocita. q continue a ter muitas inspirações sazonais...

    ResponderEliminar
  3. O som da lenha
    no lume
    ou o som do lume
    na lenha?
    Crepitam cinzas
    que os labios
    apagaram.

    Mário Castro

    ResponderEliminar
  4. e
    as folhas voltarão a cobrir as árvores
    e
    as aves regressarão para habitá-las
    e
    tu voltarás a viver nesse amor sazonal.

    pedro

    ResponderEliminar
  5. olha, palavra de honra que ainda não tinha visto... este Berlin dá-me conta da cegueira... sim, sim, de Aveiro... mas tão por Berlin...

    muito me ri... sobretudo com "parece boa mocita!"... uma pérola LOL

    ResponderEliminar